Domingo, 19 de Novembro de 2006

Um aniversário com lágrimas.....de felicidade

O meu filho nasceu faz hoje 3 anos!

O meu coração pequenino...

O pai veio ontem de Coimbra para passar o fim de semana com o nosso filho.

Estava o circo na cidade. O meu filho ultimamente faz-me ler a estoria do circo todas as noites. Quando era bebé, o pai tinha dito que o iria levar ao circo. Eu particularmente nunca gostei de circo e...odeio palhaços.

A semana passada o circo chegou e nesse fim de semana o meu filho viu o que tinha ouvido do livro de estorias... estava maravilhado e só queria ir ao circo.

Acabei por não ir com ele por causa de mim...

Levei uma semana terrivelmente amargurada e arrependida por nao ter ido com o pequenino ao circo...nao ter feito esse esforço por ele.

Até que quase no fim da semana, soube que o circo ainda cá se encontrava e que este seria o ultimo fim de semana de espectaculo.

Disse-o ao pai do meu filho que incluiu no programa essa ida...nós os 3.

Disse-me que so chegaria depois de almoço, e perguntei-lhe porque nao vinha mais cedo e estava um bocado com o pequenino antes da ida ao circo.

Lá chegou perto das 14h..tinha o meu filho adormecido ha cerca de 15 minutos. Foi almoçar entretanto e disse que voltava daí a meia hora. Sem nunca entrar em casa, falamos sempre à porta da rua.

 O meu filho tossiu e acordou. Arranjei-o e fomos para a janela esperar o pai. Tive de lhe ligar porque se estava a demorar e o pequenino a ficar impaciente.

Quando viu o pai a alegria foi tamanha... Ele ama-o.

La foram os dois. Levaram tudo o que era necessario para a noite pois ele ia dormir com o pai.

O circo começava às 16.30 e nada tinha ficado combinado ao certo.

Ele ligou-me a perguntar de ia ou nao e que estavam à minha espera para comprar os bilhetes.

Nunca me despachei tao rapido. Em minutos estava com eles.

O meu filhote estava em extase e foi ele que entregou os bilhetes "ao senhor".

Lá dentro ficou no meio de nós os dois e ria ora para mim ora para o pai. Estava tão feliz por estar com os dois.

Eu estava feliz.

Brincámos, rimo...estavamos tão bem...

Acabou o espectaculo. Saimos e cada um iria para seu lado. Eu para o meu carro que tinha ficado do lado oposto do do pai.

Ainda lhes tirei uma fotografia ao pé das luzes e despedi-me deles.

Agachei-me ao pé do meu filho e beijei-o "adoro-te" disse-lhe e ele respondeu-me "ADOROOOOO-TEEEEE " e ainda estivemos assim uns instantes.... feliz...

Doeu-me ve-lo ir com o pai.... mas estava feliz disso acontecer. Eles precisavam estar juntos.

Ontem ainda o pai me mandou uma fotografia do meu filhote de avental na cabeça e a fazer comer....eles divertiram-se.

Ao fim da noite, recebo uma mensagem no telemovel: "Amanha vou com este gajo que tu dizes ser meu filho almoçar a um restaurante. Queres vir com a gente?"

Aquela provocaçao aceitei, pois sabia que ele estava bem disposto e que era a brincar.

Respondi perguntando se realmente queriam que eu fosse ou se preferiam estar o maximo de tempo juntos só os dois e que se calhar o pequenino tambem ia gostar de ter o pai a cantar-lhe os parabens, visto o ano passado nao ter tido (estava com a neura e só apareceu depois de se ter cortado o bolo). "ainda me querem?" terminei.

Não obtive resposta....

Hoje liga-me a convidar-me para almoçar la em casa pois tinha gasto mais dinheiro do que pensava em compras ontem e tinha de gastar a comida. Eu queria ir.... queria muito. Queria tanto que estivessemos estado os 3 sozinhos...

Mas não podia ir para tantos kilometros longe de casa, correndo o risco de que quando chegassem os convidados (apenas os padrinhos, os meus pais, a minha tia e uma grande amiga minha) eu nao estivesse em casa com o pequenino.

Não podia ir...Não pude ir... não fui...

Pediu-me para o acordar às 15.30 pois iam dormir uma sesta para o pequenino nao estar rabujento. Liguei-lhe antes da hora, pois tinha dito às pessoas para ca estarem às 16.30 e queria dar banho ao pequenino antes.

Conclusão, quando os meus tios chegaram ainda eles nao estavam cá.

Pouco depois tocam à campainha. A minha mae vai abrir e já só vê o pai do meu filho de costas. Lá fui eu ao carro ter com eles.

Deu-me tudo o que era do pequenino, sacos e roupas e estavam-se a despedir quando chega o padrinho. Ficaram um bocado na conversa e eu levei o meu filho para lhe mudar de roupa e arranja-lo. Disse-lhe que queria falar com ele e que tinhamos mesmo que falar sobre o Natal.

Depois de ter o meu filho pronto fuioutra vez à rua onde o pai do meu filho e o padrinho estavam a falar, para ver se era desta que iriamos conversar. Eu quero falar com ele sobre os dias de Natal..ele anda a fugir...

Quando surgia entao a oportunidade, chega a minha amiga com o bolo de anos. Fui ajuda-la e entretanto chegou a madrinha tambem.

Fiquei dentro de casa, msa tinha dito ao pai para nao se ir embora porque precisavamos falar...

O pequenino começou a abrir os presentes, muito envergonhado e la estive eu com ele no chão, rodeados de papeis.

O padrinho entrou e disse que o pai estava la fora à espera.

Estive com o meu filhote até ao ultimo presente, sempre a explicar-lhe para que servia cada coisa. Apesar de estar envergonhado estava a adorar cada momento...como qualquer criança de 3 anos :)

Terminado a ultima prenda, fugi um bocadinho para ir falar como pai...ja la nao estava. Tinha-se ido embora. Fiquei fula!!!!

Senti-me humilhada ao entrar em casa segundos depois de ter saido, por todos saberem a razao...ninguem me perguntou nada e eu agi como se nada fosse....mas ca por dentro...

Comentei só com o padrinho que me disse que tinha ideia que ele nao iria para Coimbra ainda hoje.

Chegou a hora do bolo, do soprar a vela, e eu ajoelhada ao lado do meu filho, estive abraçada a ele o tempo todo...com uma imensa vontade de chorar...de felicidade. De orgulho. De amor.

Quando todos se foram embora, fui beber um café com a minha amiga, e para poder desabafar com ela.

No café liguei para o pai do meu filho e entrei a matar "Fizeste-me fazer figura de ursa! Porque é que te foste embora? Disseste que esperavas e quando cheguei ja la nao estavas" - "eu fui-me embora porque nao podia la estar. Nao tenho de te dar satisfaçoes, mas nao conseguia ali estar" Mas podias ter mandado um sms ou qql coisa, para eu nao fazer figura de parva e sabes que temos de conversar e eu edemorei-me porque estava a abrir as prendas com o pequenino e nao ia deixar a meio, nao achas?" , disse-lhe.

" Eu nao conseguia estar la fora sabendo que o pequenito estava la dentro a abrir as prendas!"

 Booooooouuummm!!! Na minha cabeça. Claro. Estou farta de ser a compreensiva, mas mais uma vez o compreendi. Doera-lhe ocoraçao, estar na rua (porque nao quisera entrar) à minha espera sabendo que podia la estar dentro junto ao filho numa ocasiao tao importante.

Porque??? Mas porque?? Porque é que isto tem de ser assim? Porque é que tem de doer tanto???

Choro enquanto escrevo...choro tanto....tristeza...

Disse-me entao que de facto nao ia para Coimbra hoje e que ia ficar por cá.

Amanha tenho de ir para os seus lados e perguntei-lhe se poderiamos falar entao amanha.

Disse que sim e fiquei de lhe ligar quando estivesse disponivel.

Amanha vamo-nos encontrar....estou nervosa.

Mandei-lhe dois sms ha pouco.

"Desculpa ter entrado a matar. Apenas posso imaginar a dor que sentes por nao estares com o pequenino. Até amanha."

Um minuto depois da hora do meu filho nascer (quase à meia noite) mandei a segunda:

"O nosso filho acabou de nascer. É lindo. Estou junto a ele e dei-lhe dois beijos na testa. Um da mãe e outro do pai."

Estava a segurar na maozita do meu filhote à hora do seu nsacimento. Lágrimas escorreram-me pelo rosto. Amo-o tanto...tanto.

Era um momento tao nosso...tao intimo, tao cheio de amor e felicidade que.....a minha mae tinha de estraga-lo.  Entrou no quarto e sentou-se aos pes da cama a queixar-se das dores.

Que raiva, naquele momento!

Depois consegui abstrair-me e sosseguei, agarrada ao meu filhote que ja dormia....a ama-lo.

Agora vou eu dormir.

Amanha tenho de o levar cedinho para a escolinha e tenho psicoterapia de manha.

Estou dorida na alma ....

Estou cansada ...

 

Hoje estou:

Partilhado por Sentida às 23:23
link do post | Comentar | favorito
|
1 comentário:
De spider a 26 de Dezembro de 2006 às 22:39
Quem me dera que a minha mãe me amasse tanto como amas o teu pequenino...
Quem me dera saber que vivemos porque alguém precisa de nós e mais tarde descobrir que também vivemos porque somos amados e sabemos amar-nos.
São poucas as pessoas que me amam e muitas as que eu gostaria que me amassem... e pior é que eu não me amo.
A minha querida prima e amiga disse-me que eu iria ser uma óptima mãe... e isso tocou-me muito. Eu que dizia que não queria ter filhos... Agora sei que um filho é muito importante para uma mãe dedicada e compreensiva, mas também é muito importante que um filho seja amado por uma mãe e por um pai.
Não sei se tu sabes, mas para mim, tu és uma óptima Mãe!!...


Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

Cansada mas ..... viva e ...

Perdida...

Por amor?

Vida nova...problemas ant...

Dizer ADEUS

Um ano de partilha

Partilha no Grupo

Passado que voltou

Sentimentos num shaker

Um aniversário com lágrim...

Uma dor cá dentro....

I just want to feel...

Cinderela

Desiludi amigos

Para as minhas visitas .....

Desde o início...

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Março 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Abril 2006

Março 2006

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

online

Sentidos por mim